Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/institutolobo/public_html/mbeatrizlobo/wp-content/plugins/facebook-import-comments/classes/FacebookCommentImporter.php on line 185

Para que 2012 seja feliz!

by Maria Beatriz Lobo - janeiro 10th, 2012.
Filed under: Amor e sexo, Assuntos Gerais e Atualidades, Relacionamentos e família, Uncategorized. Tagged as: , , , , .

Ao passar a noite do “réveillon”, vi milhares de pessoas de vários países do mundo na Boulevard Street, em Las Vegas, comemorando o ano que estava chegando (ou o ano que estava acabando?) e pensei o que é preciso acontecer para que se considere que um ano seja feliz, seja bom, um ano inesquecível?
Há pessoas que analisam o ano de acordo com a perda de pessoas queridas (se não morreu ninguém importante na sua vida, dá para considerar um bom ano…), mas há pessoas que não acham isso suficiente. Se passaram o ano com saúde, se conseguiram algum bem material (comprar a casa dos sonhos, ou conseguiram trocar de carro) ou profissional (conseguiram um emprego, ou uma promoção), fazem as contas imaginárias (cujos critérios são absolutamente variáveis de pessoa para pessoa) e sentenciam: foi um ano bom, ou ainda bem que o maldito ano está acabando…!
Conheço gente que logo leva para o lado exotérico: anos pares são bons, mas os anos ímpares…! Outros nunca estão satisfeitos, pois tudo poderia sempre ser melhor.
Eu costumava pensar nesses termos de ano bom ou ruim, mas desde que me casei pela segunda vez (e lá se vão quase 15 anos maravilhosos!) acho todos os anos ótimos, não trocaria nenhum deles ou faria nada diferente.
Perdas eu tive, algumas, graças a Deus nenhuma expressiva, trabalhei muito, tive decepções, em especial vinda de pessoas próximas das quais não esperava ingratidão ou injustiça, mas cheguei à mesma conclusão sobre o que é um ano bom comparando ao que é a felicidade para mim.
Se para alguns não existe felicidade, só momentos felizes, para mim ser feliz é ter uma rotina feliz. Nessa rotina podem acontecer momentos de extrema felicidade, como de aborrecimento, mas se o meu cotidiano é agradável, se faço o que gosto, me sinto bem, mas, sobretudo, se estou cercada de quem eu mais amo e se o meu dia a dia é prazeroso, ou seja, aquilo que me faz realmente feliz é parte concreta e constante daquilo que realizo e do meu modo de viver, então eu me considero, simplesmente, a mulher mais feliz do planeta!
Quanto mais eu penso, mais eu tenho essa certeza: não mudaria um único dia dos meus últimos 15 anos. Por isso na noite do ano novo só pensei que, mesmo eu tendo tido alguns problemas em 2011, eu só quero para 2012 que deixem tudo como está, ou seja, que não mudem muito as coisas para mim e meu marido. Quero que meu único filho se realize, é claro, mas ele também terá seu próprio tempo e sua forma de encontrar a felicidade.
Que venha o Ano Novo!

Deixe seu comentário!

This blog is protected by Dave\\\\\\\'s Spam Karma 2: 243908 Spams eaten and counting...